126. Caranguejo, por Márcio Ramos

.

125. Maracatu do Baque Solto Piaba de Ouro, por Márcio Ramos

.

.

.

.

.

.

124. A História Secreta da Obsolescência Planejada [Legendado PT]

123. Fotografia de natureza, por Márcio Ramos

.

122. Fotografia contemporânea, por Márcio Ramos

.

121. Fotografia, Márcio Ramos

.

120. Stencil, por Márcio Ramos

.

.

.

.

.

.

.

119. Alain de Botton – Ansiedade de Status 1/3 (2004)

118. Todo dia, por Márcio Ramos

b

c

a

117. Manhã Cinzenta (Olney São Paulo, 1969)

“Manhã Cinzenta é o grande filmexplosão de 1968 e supera incontestavelmente os delírios pequeno-burgueses dos histéricos udigrudistas. Montagem caleidocóspia, desintegra signos da luta contra o Systema — panfleto bárbaro e sofisticado, revolucionário a ponto de provocar prisão, turtura e iniciativa mortal no corpo de Artysta. O Cinema Nordestino, Cinema Popular metaforizado em Olney e Miguel Torres, vítimas dos invasores — Heroys do Brazyl!” – Glauber Rocha.

Um golpe de estado num país imaginário da América Latina. O poder. A repressão.
O filme que levou seu realizador aos porões da ditadura.